Mercado da Ribeira Lisboa

“No Mercado da Ribeira há um romance de amor, entre a Rita que é peixeira e o Chico que é pescador”, canta Amália no fado O Namorico da Rita.

Um retrato da essência do Mercado: as suas gentes e a vida que nele floresce. Inaugurado em 1882, foi o principal ponto abastecedor de Lisboa durante todo o século XX. Em 2000, torna-se apenas numa praça para retalhistas, mantendo-se no piso térreo a venda de diversos produtos e transformando-se o primeiro piso num espaço com uma nova vertente cultural e recreativa (exposições, feiras de livros, restauração e lojas de artesanato). A mística do Mercado ainda sobrevive, pelos cheiros da fruta e legumes, pela fidelidade dos clientes, cúmplices de longa data, e, sobretudo, pelo carisma dos vendedores.